domingo, 10 de outubro de 2010

De onde vem esse vazio?

Dizem que a distância acaba com qualquer coisa. Mas se acaba, meu bem, é para reiniciar. É que a distância também é capaz de aproximar. E se distância distancia é porque, na realidade, nunca se esteve próximo. A distância pode dificultar mas, no fundo, ela facilita. Porque você só é o que você é, quando você está só. Talvez eu diga isso porque esteja um pouco triste por mais uma noite de domingo solitária. Sem pipoca, filme, missa, sexo e sushi. Talvez, porque esteja descrente do amor e ache tudo uma grande farsa e mentira. E seja obrigada a sustentar esse vazio não sei de quê, nem de onde vem. Mas consigo visualizar melhor a diferença entre estar namorando e ter um namorado. E, mais, a diferença entre estar acompanhado e ter um amigo. E quando me vejo solteira, sozinha e sem ninguém, escutando as mesmas músicas, lendo os mesmos blogs e tendo os mesmos pensamentos escrotos sobre “que merda que é essa vida” ou “fodam-se os homens”... Eu não sei o que pode ser pior. Dizem que tudo é questão de tempo e de costume. É claro, ninguém vai dizer: “sua puta, sua idiota, sua imbecil. Como você pôde fazer isso? Deixar alguém que tanto ama e que te ama? Você merece queimar no fogo do inferno!”. Porque de um lado, existem os diabinhos defensores da solteirice. E, de outro, os anjinhos, os cupidos defensores do amor. E no meio há você. Você imerso nas suas dúvidas, nos seus sonhos, nos seus desejos, nas suas saudades que só você sabe e só você entende e, se você não entende, ótimo! Afinal, você também tem esse direito. Além disso, mais cedo ou mais tarde a gente decepciona ou é decepcionado. Depois disso o processo de “esquecer e superar” facilita e acelera um pouco. Nunca vi ninguém entrar na fossa por ódio. A gente entra na fossa por não receber uma ligação “só pra dizer eu te amo” ou por não ter ninguém pra ligar “só para dizer eu te amo”. Por não ter alguém para abraçar e chorar um pouquinho quando qualquer dor inexplicável bater. Por não ter alguém que te entenda naquela idéia maluca para salvar o mundo ou naquela opinião esquisita sobre o último filme que viu. Ou, simplesmente, por não ter alguém para dividir você; ser alguma coisa junto e participar... No fundo, eu ainda prefiro achar que amor, amor mesmo, não é isso. E por isso, fico aqui sem saber direito de onde vem esse vazio...

8 comentários:

  1. Nossa!!

    Obrigada por tirar de mim essa mesma sensação e colocá-la no papel. Ótimo texto!

    ResponderExcluir
  2. Cuidado para não ficar presa no tempo. Eu fiquei.

    ResponderExcluir
  3. Na verdade, na verdade, você só está triste pq eu vim embora e amanhã a gente não vai ao habib's comer charutinhos.

    ResponderExcluir
  4. bom, tem gente por aqui que pensa: Poxa, que corajosa essa menina. Deixar alguem que tanto ama e que a ama pra perseguir os sonhos que lhe compõem e lhe acompanham. Não é todo mundo que tem essa força.

    =)

    ResponderExcluir
  5. Taí um vazio que quase todo mundo já teve, e ninguém tem explicação convincente pra responder de onde vem.
    Excelente texto
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. um dia me disseram: desistir não quer dizer que você é fraco, mas que é forte o suficiente para deixar ir. acho que calha bem.

    ResponderExcluir